segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

ANIME - MIYAZAKI

De que venho eu falar desta vez – cinema – mas algumas películas em particular. Tratam-se de alguns filmes produzidos por Miyazaki (não vou dizer quem é, devia ser sobejamente conhecido, pena que isso nem sempre aconteça, também é fácil saber algo mais sobre ele, basta wikipédia e está tudo lá). Como dá já para espreitar por algumas das imagens que anexei, tratam-se de filmes de animação – a que apelidam o seu género com o termo anime. Pessoalmente no meu coração e na minha cabeça, Hollywood pode fazer todas as películas que entender durante mais um século até que talvez consiga demover-me da cabeça, que estes filmes que apresento de seguida são para mim os melhores de todos os que já vi até hoje. É certo que o género não agrada a todos. Talvez muitos digam que são filmes de crianças, que tem imaginação a mais. Sinto pena dessas pessoas. Isso significa que têm uma percepção do mundo muito pobre. Sinto pena por essas pessoas porque não aprenderam o que está oculto nas pequenas coisas e que é com essas pequenas coisas que se escala sempre para algo maior.

Podia pegar nas sinopses dos filmes e chapa-las aqui, mas isso em primeiro lugar não estaria correcto. Depois porque quem faz isso é como quem não vê, ou seja, quem critica através da crítica dos outros, é pior crítico. Por estes e outros motivos decidi tentar descobrir as imagens e cenas que me marcaram mais de cada um dos filmes que a seguir apresento. Como é difícil eu escolher qual gosto mais. Decidi-me por algo mais fácil e mais justo. Apresento-os de forma cronológica.

- MEU VIZINHO TOTORO – 1988

Nesta cena, as duas meninas (se repararem Miyazaki utiliza quase sempre muitas personagens principais femininas e na semi-puberdade, mas ao mesmo com uma personalidade tão rica, que vai inclusive amadurecendo ao longo da história, que a visualização desses sentimentos e acções é em si enriquecedora, para cada um de nós. É essa a característica que eu mais gosto neste autor. Personagens densas de um bem e de um mal que se mistura numa humanidade crua e real). Estava eu a dizer que nesta cena, as duas meninas aguardam a chegada do pai do trabalho e da visita à sua esposa e mãe das meninas que se encontra internada no hospital. Aguardam numa paragem de autocarros, na zona rural para onde foram morar recentemente, para entregar um guarda-chuva ao pai e para que assim este não se molhasse. Porém, surge Totoro (aquele ser redondinho ao lado delas - não me perguntem o que é ele, cada um tem de ver o filme e interpretar à sua maneira quem poderá ser ele). As meninas emprestam-lhe o guarda-chuva do pai, e ele fica fascinado com o facto de deixar de apanhar com as gotas de chuva e o som que elas produzem ao cair no guarda-chuva. Ele repara nesse som já quase quando pára de chover, por isso para prolongar um pouco mais o som, ele decide dar um grande salto no ar e a água que estava presa na folhagem cai toda numa chuveirada só...é uma cena amorosa e cómica ao mesmo tempo. Merece ser vista.

- SERVIÇO DE ENTREGAS DA KIKI – 1989

Como o titulo indica, uma menina chamada kiki, tem de viver um ano fora de casa para aprender a ser uma verdadeira bruxa – é tipo um estágio de bruxas. Durante a sua jornada acontecem-lhe sempre uma série de peripécias que a fazem duvidar seriamente se conseguirá vir a ser uma grande bruxa, por não consegueir encontrar algo nessa condição em que seja realmente boa. Descobre que a única coisa que consegue fazer é voar na sua vassoura – fora o facto de falar com o seu gato preto – até que começa a deixar de ter confiança em si e até mesmo estes poderes, perde. Ela vai ter de olhar bem para o seu interior e descobrir o que a faz ser quem é, algo muito mais importante que ser uma grande bruxa.

- PORCO ROSSO – 1992

É uma história clássica de guerra e amor – mas que na realidade acaba por ser pouco convencional pela sua mistura de elementos. Tais como, logo em primeiro lugar, o personagem principal é um homem enfeitiçado, transformado num porco. Depois existe uma espécie de máfia de piratas do ar, que vão sequestrando vários navios no mar mediterrâneo, num dos quais raptam por exemplo, uma cambada de miudinhas com os seus cinco aninhos, que ajudam á confusão e destruição do hidroplano dos mafiosos, quando porco rosso as vem salvar.

- PRINCESA MONONOKE – 1997

Um filme muito actual apesar de ter mais de uma década. Mesmo que repleto de magia (e isso ainda me faz gostar mais dele) retrata uma história muito moderna – visto que a ecologia e a importância de salvar o planeta da sujidade exterior e interior humana (poluição e guerras) estão presentes desde o inicio ao fim do filme. As duas personagens principais, são a princesa Mononoke, criada por lobos e defensora acérrima da floresta, de tal forma que ás vezes se esquece que também ela é humana. Depois existe o rapaz, que mesmo tendo sido contaminado por algo que lhe vai percorrendo o corpo e o vai levando para a morte, não se cansa de tentar conciliar a Natureza com os humanos. Quem surge a seguir em termos de personagem humana é uma mulher muito em particular. É uma espécie de capataz-guerreira, que constrói um forte, que deseja intransponível, onde são feitas armas por leprosos e mulheres (que foram exploradas pelos homens) e que são agora recolhidos e libertados dessas outras formas de escravidão. Quando se vê o filme, esta mulher – quase um general – que pega em qualquer arma, é mais uma das personagens ambíguas de Miyazaki. Tanto tem exemplos de extrema humanidade, como está disposta a destruir tudo em seu redor para obter muitas coisas reprováveis.

- A VIAGEM DE CHIHIRO – 2001

Todos os pequenos monstrinhos mimados que vamos vendo todos os dias por ai, deviam ser obrigados a ver este filme. A viagem de Chihiro é mais do que uma história, é uma forma de educar crianças. Não quero dizer, que as crianças devam passar pelas privações/lições que esta menina foi obrigada a suportar, mas tentar moldar-lhe o pequeno cérebro para que entendam o que Chihiro foi descobrindo como valioso.

- O CASTELO ANDANTE – 2004

História comovente e com um final não muito claro, mas que em nada reduz a beleza do filme. Ao longo da história, vamos aprendendo sobre o significado da juventude versus velhice, boa aparência versus mau aspecto, força versus fragilidade e ainda como a força de acreditar no próximo é uma força muito poderosa, capaz de quebrar múltiplos feitiços. A paciência, a amabilidade e a coragem, fizeram de uma simples rapariga, sophie, que é transformada numa velhota, numa personagem mais forte que qualquer Rambo. É simplesmente fantástico como ela com perseverança consegue atingir lentamente os seus objectivos, mesmo que sejam tarefas tão simples como limpar uma lareira, subir umas escadas ou terminar uma guerra que ameaça destruir todo um mundo que ela foi conhecendo.

- PONYO ON THE CLIFF (ainda não há titulo official em português para este filme porque ainda não saiu no cinema) – 2008

Quando visualizei este filme, pensei, prontos, lá vão vir os críticos dizer que isto é uma adaptação oriental da pequena sereia. Na verdade deve ser mesmo, mas não interessa, Miyazaki consegue sempre colocar a sua marca própria em cada filme que faz. A pequena sereia - Ponyo, é daquelas personagens amorosas deste autor, que só por si, fazem um filme valer a pena.

A medida que ia escrevendo ia sendo cada vez mais difícil colocar por palavras, aquilo que só em imagens consegue ser transmitido. Tentei dar o meu melhor. Espero que tenha aguçado a curiosidade de alguns. Gostava ainda de acrescentar mais alguns filmes que estão também de mais alguma forma relacionados com este autor, e muito mais se podia dizer sobre eles:

- SUSSURRO DO CORAÇÃO

- O TÚMULO DOS PIRILAMPOS

- O REINO DOS GATOS

2 comentários:

carmonix disse...

olá,antes de mais parabens pelo blog,está mt interessante!!Apenas te queria dizer,tens de ver o túmulo dos pirilampos,está excelente...a não perder,se não o visionas-te,eu posso-te enviar consegui arranja-lo!
td de bom,e o castelo andante...divinal!!

eumesma disse...

Obrigada por teres gostado. Eu de facto também já vi "O túmulo dos pirilampos" é de facto um filme muito forte, humanamente muito rico e que de facto nos faz seriamente pensar na importância das ligações de sangue. Se por acaso conheceres mais algum filme dos estudio Gibli(?) podes-me fazer mais sugestões.
Já agora, como não te conheço do meu circulo de conhecidos, podes-me dizer como chegas-te até ao meu blog?