quarta-feira, 24 de setembro de 2008

SEPARA-TE DE MIM



São longos e penosos os momentos a teu lado.
Proibires-me de te tentar ler e possuir é uma imposição demasiado severa quandoo simples encosto ao teu ombro seria o maior dos prazeres.
O delirio ofegante da fantasia que me negas.
A barreira invisivel pelos centimetros de afastamento imposto é um amargo que corta como lâminas as pontas dos meus dedos.
Desejo te tocar furiosamente mas as minhas mãos embateram nesse muro erigido de indiferenças.
Se eu não estou autorizada a transpo-lo, como posso gastar energias imaginando, que tu podes transgredir as tuas próprias imposições.
Regras quebradas não fazem parte do teu fio lógico.
Se o teu sangue ferve ou o líquido te sobe ao olhar porque estou diante de ti!
Desconheço...
Mas desejava-o.
Pouco me resta se estamos lado a lado, mas se os espirítos ocupam universos destintos.
Cabe-me a tarefa mais vergonhosa.
- Ser cobarde.
Desistir e abortar o impulso que a minha curiosidade e o meu desejo provocam e abrandar.
Parar e largar a cauda do teu destino.
Fraca de mente se pensei que podia fazer parte dele.
Nunca estive nele.
Fui um ponto invisivel.
Nunca me quises-te, nem a simples ideia de mim.
Fico aqui, prossegue o teu caminho de dores e de alegrias.
Estou cansada.
Gastei apenas o tempo e o último lanço de energia, a ver-te partir.
A observar as tuas costas.

3 comentários:

Anónimo disse...

Nice to read...well done!

Anónimo disse...

Beautiful to read but also painful for the mind of those who have already experimented this strange feeling. The feeling of being in love with someone who can´t correspond with the same intensity that we wish. Indeed, sometimes, or should I say, often just doesn´t exist intensity at all from the other side, just exist indifference for the feeling of the person who just dares to give the best of him(her)self....

eumesma disse...

Thank´s for your coment, I just don´t understand way you wrote in english if you read it in portuguese!! (i think)
But what mater is realy the feelings inside the words.