sexta-feira, 4 de abril de 2008

EQUILIBRIO ETERNO QUE ME PERTENCE


O mundo não é só uma Torre de Babel nas línguas com que nos expressamos, mas também nas leis que nos comandam. Um mundo repleto de coisas boas á espera de serem vividas. Vivo-as mais do que o que julgam. Mas como partilhar?


É complicado explicar sentimentos profundos através dos sentidos. É complicado ter alguém ao nosso lado quando só pensamos em lhe abraçar a alma. Trespassar todo o seu corpo com um toque invisível, que lhe esmague o coração entre os dedos ardentes de devoção. Olho as minhas mãos tão frágeis e humanas. Magras de força mas repletas de vontade. Retesadas como catapultas aguardando a hora de receber e aprisionar o que sempre me esperou pertencer.

No teu invólucro sombrio escondes e resguardas o que brilha para mim. Que sussurra através do tempo e do espaço para renascer nas masmorras dos meus dedos. Perfuro com um sopro quente um peito que se retesa e se oferece. És meu onde estiveres!

3 comentários:

Anónimo disse...

Sugestão para um bom fim de tarde ou noite: ver o filme "amor em tempo de cólera" diz muito sobre sentimentos, amor, paixão, ódio, engano...vê e depois comenta aqui.

eumesma disse...

A autora deste blog já ouviu falar em boas referências ao filme que é indicado, como sendo uma película que adaptou com excelência o livro homonimo do escritor Gabriel Garcia Marquez. Vou ter de tentar ir ver a obra ao cinema, e quem sabe talvez expressar a minha opinião aqui. Obrigado pela sugestão.

gomejose disse...

Se o mundo não fosse uma torre de babel quanto às leis que nos comandam, os sentimentos profundos facilmente seriam identificados e mesuráveis. Deixaria de existir diversidade quanto à forma como cada pessoa encara a vida. Todos os sentimentos profundos passariam a superficiais, tal seria a vulgaridade em que se transformariam.
Acredito que a felicidade possa estar na capacidade que cada pessoa tenha para identificar a variedade de sentimentos a que diariamente está exposta. Só assim estará à altura encontrar alguém que se guie pelas mesmas leis de vida...